Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




WP_20170214_10_20_57_Pro.jpg

 

Nunca saí de casa sem pequeno - almoço, a verdade é que durante muitos anos era um sacrificio comer. Fazia-o porque era obrigada (e ainda bem, thanks family ) mas a verdade é que não me apetecia e eu era pessoa de bom alimento, aliás sempre fui. O facto de não ter fome se prendia com o ritmo de vida que tinha. Sempre me levantei com tempo suficiente para comer sentada à mesa, aliás eu e todos lá por casa mas o tempo que demorava a despertar não era suficiente, isto é, devia levantar-me mais cedo. Este erro continuou durante muitos anos, continuava a comer mas apenas pela consciência de que era determinante para o meu bem estar físico e emocional. Uma tomada de consciência progressiva do meu corpo e do meu estilo de vida, levou-me a fazer algumas alterações.

 

Hoje levantamo-nos sempre contando com 1 hora para pequeno-almoço, não estamos 1 hora a comer como é evidente, longe disso mas dispensamos mais ou menos o mesmo tempo ao pequeno-almoço e ao jantar, isso dá tempo de despertar tranquilamente, sem correrias, com tempo para pensar no que queremos comer e fazer as escolhas respeitando as necessidades do nosso organismo, porque elas mudam de dia para dia por isso todos os dias são diferentes, porque se não almoçamos e jantamos sempre o mesmo, não é razoavel e muito menos saudável, tomar sempre o mesmo pequeno-almoço.

Deixo previamente preparadas panquecas, ou ingredientes para papas. Há sempre uma enorme variedade de sementes e frutos secos e nunca falta fruta da época cá por casa. Há mel, manteiga de amendoim, café, àgua (muitas vezes aromatizada com limão), há chás, muitos e de muitas origens, com cheiros bons e sabores melhores... há tempo! Assim garantimos o aporte nutricional necessário às primeiras horas da manhã, garantimos acima de tudo que, a refeição mais importante do dia é tomada calma e tranquilamente sentados e que temos tempo para tudo sem a pressão do relógio matinal.

 

E sabe tão bem... E por aí? Muita correria matinal ou muito respeito pelo corpo e pelos ritmos de cada um?

Autoria e outros dados (tags, etc)

WP_20170214_10_30_54_Pro.jpg

A propósito da partilha de ontem no facebook (ora espreitem lá)... deixo-vos um post sobre o mesmo tema.

 

Há uns dias uma mãe confessava-me a dificuldade em encontrar opções de papas e outras comidas preparadas saudáveis para o seu bebé. A pequena tem 18 meses e nunca provou açúcar refinado (ainda há esperança para a humanidade) e que ela irá manter a guarda ao açúcar até pelo menos aos 3 anos! A mãe comentava-me que faz todas as papas com farinhas diversas, e muita imaginação. Cozinha a fruta ou envia crua para ela ir comendo durante o dia, que lhe dá também muita babata doce entre refeições que a pequena adora! Quem não?!?!?? :) A criança está no peso certo, com um desenvolvimento normal e a pediatra continua a dizer-lhe que está no caminho certo.

 

Então perguntou-me que misturas faço nas minhas papas de aveia para introduzir sabores novos, que às vezes a imaginação também tem limites. Sugeri-lhe a adição de frutos vermelhos ou algumas sultanas porque fruta da época ela diz que já consome e neste caso a manteiga de amendoim não é uma boa escolha! Comentou-me que já usava tamaras para adoçar pontualmente e que ia experimentar as passas! 

Comentou-me também a dificuldade que teve em explicar à enfermeira do Centro de Saúde que não irá dar iogurtes à criança nem quaisquer outros produtos lácteos, que essa será uma escolha da criança mais tarde caso queira consumir mas que não lhe será, para já colocado à disposição. Diz que a senhora não percebeu, que lhe disse inclusivamente que devia era comer de tudo porque um dia a mãe pode não estar para lhe fazer a comida e depois? Como é que a criança se desenrasca?!  18 meses sozinha em casa?!?!? Se não estiver a mãe alguém estará para cozinhar, é assim que se alimentam pessoas, não com processados, com comida a sério!!! 

 

Um dos principais problemas é sem dúvida a mentalidade, somos animais de hábitos, umas vezes bons outras nem por isso e a alimentação é um processo muito primitivo, daí tanta resistência à mudança. Na verdade não é assim tão primitivo o consumo de açúcar e de produtos lácteos e por isso também ser tão nocivo para o nosso organismo. Mas parece que o que é menos bom fica enraizado muito mais rapidamente e que nos esquecemos facilmente da origem da nossa alimentação.

 

E por aí, histórias para contar no que à alimentação da pequenada diz respeito?

Autoria e outros dados (tags, etc)

WP_20170214_10_24_51_Pro.jpg

 

Uma das formas de garantir pequenos - almoços, snacks e pausas saudáveis é ter disponivel uma grande variedade de ingredientes saudáveis.

 

Assim cá por casa há sempre flocos de aveia (e os que mais gosto, do sabor e do preço, são os do Lidl), há sempre pólen porque nos ajuda a manter um sistema imunitário forte e saudavel e a deixar os resfriados do inverno e as alergias do verão à porta. Há chia, há sésamo, há linhaça dourada, há pinhões, há canela, há alfarroba, há sementes de girassol, papoila ou canhamo... e há frutos secos, sempre disponiveis, sempre à vista, sempre acessiveis. Tudo para que não haja dois dias iguais porque também não há dois dias em que o nosso organismo necessite exactamente das mesmas coisas! Assim, com estas opções cada um pode escolher o que mais gosta, fazer as suas próprias combinações de acordo com as suas necessidades e dar ao organismo o que ele mais necessita.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Captura de ecrã 2017-02-09, às 10.52.35.png

Tenho uma mão cheia de crianças que adoro! Há meia duzia de miúdos que eu gosto muito, adoro-os profundamente e podem deitar o mundo abaixo (não deitam são uns amores) que eu não me importo. Gosto de estar com eles, aliás morro de saudades de brincar com eles, de lhes dar tempo e criar boas memórias. Esses são os que eu amo profundamente e que se me pedirem que neve em Agosto eu tudo farei para que isso ocorra. 


Mas bom, há uns tempos uma delas pediu-me para lhe fazer Bolo do Shrek (é bolo de espinafres). Mas eu não lhes dou açúcar, incomoda-me o espírito já se sabe... são tão pequeninas e envenená-las naaaaa... Então lá corri em busca de uma receita (porque tinha perdido a receita original) e lá deitei mãos à obra. Um pedido delas é sempre satisfeito no menor tempo possivel (e as danadas sabem disso, sou uma fraca! Até a de dois anos, minha doce A. que pede as coisas mais estranhas e lá vou eu...).

 

Mas bem, não contente com o pedido do bolo, a S. ainda acresce "faz antes cupcakes"  COMO?!??! Mas pronto se ela pede eu faço lá está (mas nunca tinha feito porque nunca percebi porque é que havia de usar 10 formas podendo usar só uma mas elas pedem e aqui a fácil, tumbas)... usei a mesma massa e em vez de uma forma única fiz uma carrada de forminhas e lá sairam os Cupcakes do Shrek! E elas comeram e eu babei de felicidade e ainda hoje já lá vão uns meses se lembram disso e toda eu sou orgulho! Coisas mais boas! 

Então aí vai receita! 

 

Ingredientes:

200 g de espinafres

4 ovos

1/2 chávena de azeite virgem

1/2 chávenas de mel

2 chávenas de farinha de trigo integral

1 colher de chá de fermento

 

Cobertura: 

100/ 150g de Chocolate negro 0% açúcar pantagruel

àgua q.b.

 

Modo de preparação:

Separar as gemas das claras. No liquidificador (adoro isto, tudo lá para dentro e já está) juntar os espinafres com as gemas, o azeite, o mel, a farinha e o fermento. Triturar tudo muito bem. Bater as claras em castelo. Incorporar levemente as claras com a o resto da massa! Pré aquecer o forno a 180º. Levar ao forno 20min.

 

Para a cobertura:

Num tacho à parte derreter o chocolate em banho maria com um pouco de àgua. Colocar em formas (ou numa forma única) e cobrir com o chocolate derretido. (Isto tem potencial de ficar delicioso se ao chocolate adicionarem alguns frutos vermelhos... o próximo pedido vai sair assim, meninas já sabem).

 

E pronto, ai está uma receita saudável, rápida, 0% açúcar e óptima para a criançada!

Autoria e outros dados (tags, etc)

a1f6b751d1a5fc158740b0d0d126a0b2.jpg

 

A melhor forma de amar é darmos tempo de qualidade e sem interrupções a quem mais gostamos. Por isso hoje falo-vos um bocadinho disso.

Aqui em casa não temos TV  é por opção não temos e não queremos ter. Não temos o plano de vir a ter na data tal... não sentimos falta, sentimos isso sim um excesso de ruido quando estamos em casas com TV.


De inicio ouvimos de tudo "Eu dou-vos dinheiro, eu sei que o inicio de vida não é fácil..." , "levem uma daí, escolham vejam a que gostam mais..." e depois havia os que achavam que não íamos sobreviver muito tempo assim e que íamos mudar de ideias rapidamente. Não mudámos, aliás, mudámos! Hoje temos a certeza que não queremos TV. A qualidade televisiva é péssima e as perdas são muito maiores que os ganhos. De entre o rol de inconvenientes que encontro numa TV em casa, a primeira das quais é que deixamos de comunicar com a mesma facilidade. Uma TV ligada e há sempre alguém focado no que está a passar, há sempre um "espera deixa ouvir" (FICO DOENTE). Além disso a comunicação fica comprometida também porque começamos todos a falar por cima do ruido da TV.

 

Ah e as notícias?! Ler jornais nunca fez mal a ninguém, ou se calhar fez. Tenho o hábito de ler as noticias quando acordo, ou melhor, tinha. É um hábito que estou progressivamente a perder porque não leio noticias que me façam bem. Não quero saber se houve mais uma morte aqui, um espancamento alí, um problema na estrada X, Y ou Z... Se o Trump disse mais uma barbaridade ou se o Putin se chateou com os vizinhos do lado, se a corrupção aumentou ou os politicos se engalfinharam no parlamento. Não sei e não quero saber porque isso só me fazia saltar da cama já meia deprimida... então não, não quero saber disso. Quando são coisas realmente importantes tenho uns alertas no telefone que me vão ligando ao mundo. Só leio as gordas e abro a noticia (muito raramente) se o titulo é apelativo. De resto leio muito, muito mesmo, revistas de especialidade, blogs, livros... leio muito e sinto que essa é a melhor forma de me ligar ao mundo.

 

Gosto muito do meu mundo, gosto cada vez menos do mundo que me tentam vender por esses meios de comunicação ricos em sensacionalismo e pobres em conteúdo. Tenho amigos e família e amigos que são família, a centenas de Km com quem falo religiosamente todas as semanas, tentamos juntar-nos entre jantares e tinto da paz semanalmente, fazemos planos de fim de semana. E ao serão?!? (É sempre a pergunta) Ao serão vemos uma ou outra série, lemos, ouvimos música e acima de tudo conversamos, conversamos muito, sem ruídos, sem interrupções, sem PCs à frente a roubar a atenção do que é realmente importante, as pessoas, e dormimos cedo, para acordar cedo e ter o melhor desempenho possivel logo à primeira hora da manhã. No Verão caminhamos muito à noite, depois de jantar lá vamos nós, entre exercicio fisico e boas conversas. No Inverno recolhemos mais cedo e conversamos mais em casa :) 

 

Quanto aos telefones e demais equipamentos eletrónicos (PCs que por aqui não há Tablets) também temos uma certa regra... tentamos que todas as chamadas sejam feitas até à hora do jantar, depois disso tudo fica sem som... O dia é demasiado longo para estarmos "sempre ligados". Precisamos de tempo de qualidade sem interrupções para ler, para ouvir música, para conversar. E as idas às redes sociais são controladas mutuamente! Damos uma espreitadela e depois começa o serão... Praticamente todos os posts que vocês vêem depois das 20h são pré agendados, os acessos depois dessa hora são esporádicos, por mutuo acordo e isso é o melhor que nos pode acontecer!

 

Por aqui estamos muito bem assim, por aqui não gostamos de ruído de equipamentos eletrónicos, por aqui gostamos de boas conversas e de serões de paz... a vida já tem demasiado ruído. 

E com crianças?! Nós não temos, mas quando volta e meia as recebemos temos um ou dois jogos que fazem milagres, e uma carpete grande e fofinha onde elas podem brincar e dar largas à imaginação, sempre com a nossa atenção! Sem telefones, sem ruídos! E o melhor de tudo é que elas gostam dos nossos jogos e falam deles passado muito tempo  e assim criamos boas memórias, com tempo! 

 

Bom fim de semana!

 

Foto: Fonte Pinterest

Autoria e outros dados (tags, etc)

Pág. 1/3



Mundo Us4all

foto do autor


Contactos

us4all@sapo.pt

Também colaboro aqui


Sigam-me por aqui

Follow


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D