Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Captura de ecrã 2017-02-06, às 19.34.44.png

Eu sou daquelas pessoas que faz a ronda anual de médicos, controla valores de X em X tempo, e assume a máxima de "mais vale prevenir que remediar". E vou morrer como os outros bem sei... mas bom, posto isto e não sendo fã de carne há muitos anos decidi, já lá vão 3 anos que, por mais que estudasse qualidade alimentar e segurança e etc... as minhas noções de nutrição não eram suficientes (achava eu, mas já lá vamos) e decidi ir a uma nutricionista.

 

Dei-me ao trabalho (dou sempre que consigo) de ler o curriculum da Sra, prémios e galhardetes com fartura, mais de 15 anos de experiência, clinica reconhecida... tudo reunido para a escolha! Lá fui... e não podia ter vindo mais mal impressionada.

Só depois de uns bons 10 min de consulta (que durou para aí 20min), pesos e medidas com fartura, me deixou explicar o que me levava ao consultório. Primeiro disse-me que não fazia sentido ir lá porque não tinha excesso de peso nem peso a menos (isso eu também sabia), depois disse-me que há muita gente que vai ao consultório com a mania das dietas depois chegam lá anoréticas, depois disse-me que não havia necessidade de me preocupar com a idade que tinha, nem queria ter filhos para já nem nada... 

 

Ora daí depreendi que um nutricionista serve tão e somente para emagrecer os gordos e engordar os magros! E eu que achava que servia isso sim para avaliar o metabolismo da pessoa, o seu estilo de vida e traçar um plano adaptado às restrições de cada pessoa!

 

Houve de tudo naquela consulta desde, "coma X porções de carne"... mas eu vim cá justamente porque quero deixar de comer carne com frequência... "ah, então coma peixe"?!??!??! E leguminosas? E outras fontes proteicas?!?!? 

 

Bom, foi de tal forma que eu esqueci o amor aos 55€ e nunca mais lá pus os pés!

Mas há uns tempos, como o meu plano de treino inclui consultas de nutrição, lá fui, e não podia ter ficado mais satisfeita. Uma profissional extremamente competente, muito cuidadosa, preocupada em saber se tinha intolerâncias, restrições, deu receitas, sugestões, dicas. Na generalidade disse-me que fazia uma alimentação bastante equilibrada  e sugeriu-me um ou dois sabores novos para as papas de aveia do pequeno-almoço! 

Foi fantástico! Recuperada a esperança : )

Eu sei que um profissional está longe de definir uma classe mas confesso que na altura me senti um bocadinho "desamparada" porque queria saber mais, recorri supostamente a um bom técnico e não correu muito bem ainda por cima a senhora era um bocadinho para o cheinho o que me deixou logo desconfiada... ao longo da consulta percebi!


Desta vez tudo foi diferente!

E por aí? Experiências das boas quem tem? Eu independentemente disso continuo a achar que qualquer pessoa deve recorrer a um bom técnico e procurar soluções adaptadas ao seu estilo de vida, agregado familiar, prática desportiva... Um bom plano alimentar é meio caminho para uma boa saúde!

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Purpurina a 14.02.2017 às 20:09

Olá, identifico-me muito com a tua postura. Estou sempre a fazer consultas de rotina, tenho uma grande preocupação com a alimentação e senti necessidade de procurar um nutricionista.
Calhou ser reencaminhada para uma consulta de nutrição do centro de saúde, por ter tido diabetes gestacional, e por lá fiquei mesmo não precisando de engordar nem de emagrecer.
A nutricionista é uma querida e de 2 em dois meses lá vou ver como estão a s coisas e tirar algumas dúvidas. neste momento, o meu objetivo é comer cada vez menos carne (já praticamente não como carne vermelha) e optar por mais vegetais. Também queria deixar o leite mas isso estou a achar mais complicado.
Imagem de perfil

De Us4all a 15.02.2017 às 08:56

Olá Purpurina :) 


Eu realmente acredito que é na prevenção que devemos apostar e que com rotinas regulares e uma alimentação equilibrada conseguimos mais e melhor qualidade de vida. E sem dúvida é fundamental um acompanhamento nutricional adaptado às necessidades da pessoa, aos seus objectivos e às suas rotinas. 
Quanto ao leite já abandonei há muitos anos, hoje nem me lembro, mesmo quando vejo pessoas a beber nem me lembro que isso seja uma possibilidade para mim porque não posso mesmo. Já o queijo curado ainda não consegui deixar por completo, gosto imenso e tento ao minimo consumir mas é um facto que tem sido dificil. Aos poucos e com muita força de vontade acredito que conseguimos tudo! 
Força nessas mudanças e muito obrigada por teres visitado este espaço :)
Um beijinho

comentar post




Contactos

us4all@sapo.pt

Também colaboro aqui


Sigam-me por aqui

Follow


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D