Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




meat.jpg

A carne é um excelente recuro energético e nutricional. MAS, já por aqui falei que o consumo de carne em Portugal e nos países desenvolvidos tem sofrido aumentos escandalosos! O consumo médio recomendado é de 33Kg/ano e em Portugal em 2014 foram consumidos mais de 100Kg/ano.

 

Venha quem vier dizer que com as recentes noticias da OMS que alertam para, uma relação entre cancro e consumo de transformados de carne (enchidos, fumados etc...) e uma eventual relação entre o consumo de carne vermelha e cancro, o consumo diminuiu, facto é que as estatisticas nos demonstram que este tem que diminuir muito mais para chegarmos a valores de consumo saudavel.

 

Se por um lado, estamos a esgotar recursos naturais com o aumento da produção a nivel mundial a chegar a valores históricos (ah mas isso ninguém se preocupa muito porque os efeitos sentem-se a longo prazo eu já sei...) por outro, estamos a por em causa a nossa saúde (talvez isto já dê que pensar...).

 

As recomendações de consumo são claras, 50-70g/dia de proteína animal (músculo, que na gordura não há proteína e essa deve ser TODA removida) e o consumo de proteína animal em excesso (como qualquer outro nutriente consumido em excesso) é nocivo para o organismo. 50 a 70g é mesmo muito pouca quantidade, só para terem uma noção, os hamburgueres, mesmo aqueles pequeninos, regra geral têm pelo menos 100g o que significa que, consumindo ao almoço uma porção de carne ou peixe, já estamos a consumir a quantidade necessária para todo o dia.

 

Além disso, a cozinha tradicional oferece-nos uma série de pratos (que eu adoro por sinal) que fornecem um grande conteúdo proteico. Falo-vos das favas guisadas, da feijoada e do rancho por exemplo. Mas vejamos, tudo isto são leguminosas, muito ricas em proteína vegetal de elevadissima qualidade. Por isso, quando cozinharem estes pratos, priviligiem o consumo das leguminosas (favas, feijão, grão) e desprezem a carne, porque o que estão a fazer é consumir proteína com proteína e isso não faz bem a ninguém. Não digo que de todo não usem carne, usem mas calculem uma pequena (pequenissima) quantidade por pessoa, porque as leguminosas já vos vão fornecer tudo o que precisam.

 

Aqui fica o menu que poderão escolher, depois de abusarem do consumo de carne (estou certa que infelizmente algumas pessoas se vão identificar): problemas renais, problemas digestivos, elevados niveis de colesterol com risco aumentado de doença coronária, aumento do perímetro abdominal, inflamação articular entre outros...

 

Posto isto, eu nada tenho contra o consumo (RESPONSÁVEL) de carne, de qualidade, de origem controlada, que respeite o bem estar dos animais e o seu ciclo de vida, o respeito pela criação ao ar livre, longe dos excessos de antibióticos, planos de vacinação, rações e de uma produção em massa em que a qualidade é duvidosa e o respeito pelos animais fora há muito perdido.

 

Foto: Fonte Pinterest

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


2 comentários

Imagem de perfil

De Chic'Ana a 20.06.2016 às 16:38

É verdade que eu sou fã de carne, antigamente comia pelo menos a uma refeição por dia. Atualmente faço mais á base de peixes e saladas, mas pelos menos 4x por semana, tenho de comer carne...
Beijinhos
Imagem de perfil

De Us4all a 20.06.2016 às 17:22

desde que com moderação e devidamente cozinhada sem gorduras não tem porque haver uma absoluta restrição


depois há muitas outras questões sobre a qualidade da carne actualmente disponível, da forma como os animais são produzidos etc mas isso é outra história ;)

comentar post



Mundo Us4all

foto do autor


Contactos

us4all@sapo.pt

Também colaboro aqui


Sigam-me por aqui

Follow


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D