Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Cowspiracy

30.09.16

cowspiracy_cow.jpg

Eu sei eu sei que o filme já é antigo e que é polémico e que tem o lado bom e o menos bom e que, e que, e que... Assim que o dito estreou eu quis ir logo ver, depois fui avisada por quem me conhecia bem que, bom era melhor não ver, pelo menos já, deixar a poeira acentar... que além disso tinha imagens muito violentas de produção animal intensiva e que eu não iria morrer de amores por ver. E assim foi, na altura fiquei curiosa (óbvio), li tudo, devorei tudo mas resisti e não vi o filme.

 

Há uns dias, passeando pelo Youtube demos com o dito e o homem da casa lá sugeriu e eu mortinha por ver, pumbas lá vimos. Não era nada que eu já não soubesse, não me espantou a brutalidade da produção intensiva (sim, para mim é brutal ver uma porca confinada a um misero espaço à espera, unicamente de se reproduzir, mais e mais e mais... é brutal ver qualquer animal confinado, não é esse o ciclo natural, não estão a ser respeitados principios básicos de respeito pelo habitat de cada espécie e nenhum de nós gostaria de se ver confinado a um misero espaço com o unico objectivo de engordar e/ou se reproduzir... "ah mas nós somos humanos" dirão alguns... pessoas, somos todos animais e como tal devemos respeitar-nos todos uns aos outros).

Mas bom, quanto ao filme apenas me fez relembrar alguns breves conceitos e reafirmar o que acredito ser o caminho certo e que há cada vez mais estudos que provam e comprovam, contra tudo e contra todos.

 

Comemos (eu não mas a população em geral) carne a mais, e o planeta não tem capacidade de produção para tanto animal. Os animais necessitam de toneladas de alimento que tem que ser produzido nalgum lado, não havendo terra disponivel, são abatidas florestas (e são mesmo) para produção de forragem e pior, o impacto da produção não se fica por aqui. São necessários milhares de litros de àgua para produzir forragens e são emitidos gases com efeito de estufa em quantidades astronómicas. Já para não falar que a quantidade de terra usada para produzir forragem, daria para alimentar toda a população humana com produtos de origem vegetal, limitando assim a fome no mundo. Bom, mas isso daria mais 10 posts...

 

Todos nós, os que comem mais ou menos carne, mais ou menos produtos lácteos, sofrem as consequências deste aumento desmesurado da quantidade de carne consumida no mundo. Isso sim preocupa-me mas, se cada um fizer um pouco mais (e não precisamos de nos tornar todos vegan de um dia para o outro) podemos todos viver num mundo melhor.



Por aqui já não compro carne praticamente nenhuma, consumo carne caseira (ah sim, tens essa sorte e bla bla bla... pessoas, um frango lá em casa dá para uma eternidade, e quando digo eternidade é mesmo uma eternidade, nem sequer comemos todas as semanas, nem pensar nisso é bom aqui para a minha pessoa). O meu comprometimento no final do filme foi para procurar reduzir o consumo de produtos lácteos, isso sim ainda consumo alguns, mas, como o filme diz e eu sei que é assim, leite de vaca é alimento para bezerro... por isso seja qual for a forma como consumimos o leite e seus derivados, estamos também a ter um impacto negativo sobre o ambiente e sobre a nossa saúde.

 


Não prometo eliminar por completo, até porque também consumo queijo caseiro (de ovelha e cabra cujo impacto é bem menor) tentarei isso sim evitar ao máximo o consumo de derivados de leite oriundos de grandes empresas, que confinam as vacas a miseros espaços com o unico fim de as verem produzir mais e mais leite.

 

 

Não é de todo um apelo a que deixem de comer carne ou produtos de origem animal, é um apelo a que revejam os vossos comportamentos, a mensagem que estão a passar às próximas gerações e ao impacto que isso tem na vossa saúde. A carne e os demais produtos de origem animal, se forem provenientes de uma agricultura sustentavel são saudaveis e fazem de nós pessoas saudáveis. Cabe a cada um de nós ter uma visão crítica sobre o que compra e sobre a forma como educa as novas gerações. Por aqui continuaremos a pregar para que haja um respeito cada vez maior pela Natureza, plantas e animais devem ser respeitados e protegidos porque nós dependemos inteiramente deles!

Autoria e outros dados (tags, etc)


8 comentários

Imagem de perfil

De Engraçadinha a 30.09.2016 às 12:50

Dá gosto ler este texto. Sem exageros, sem imposições.
Realmente basta que cada um faça aquilo que está provado ser melhor para a nossa saúde. É só inverter as quantidades que se colocam no prato, a metade que agora se ocupa com um bife, deve ser ocupada com legumes ou salada e o bife deve ocupar a quarta parte do prato que agora se ocupa com a salada.
Eu como carne, mas confesso que já tenho que fazer um esforço para me abstrair da forma como os animais são criados, desde que vi uma reportagem sobre os produtores de carne porco e mostraram os sítios onde as porcas são mantidas para se reproduzirem. É desumano.
Imagem de perfil

De Us4all a 30.09.2016 às 13:47

Muito obrigada :) É mesmo um repensar que é necessário, não é com radicalismos que conseguimos alcançar o público que mais consome carne, mas efectivamente é necessário repensar as nossas opções e as opções que fornecemos às gerações mais novas. Hoje em dia a oferta é enorme e não é mais caro comer saudavel do que comer menos saudavel, é so uma questão de gestão e de organização.
Obrigada por seguires :)
Imagem de perfil

De Catarina a 30.09.2016 às 18:54

Cowspiracy foi um dos filmes que me levou a pensar naquilo que como. Eathlings foi o que me fez mudar de hábitos (não só alimentares).
Posso dizer que neste mês só toquei em peixe três vezes. Em carne, foi há um mês e dois dias (e foi porque estava num batizado e não tinha alternativas a comer). Há anos que não tocava em leite, mas este mês e devido a estar a experimentar kefir, voltei a tocar. A ver se dentro de um mês (ou talvez menos), deixe novamente de consumir leite. Queijos e ovos é o que ainda consumo. Queijo por vício (mas consegui diminuir). Ovos por necessidade.
Desde que fui alterando estes hábitos, só tenho melhorado. Deixei de ficar mal-disposta ou com sensação de inchada no final de cada alimentação, tenho mais energia (e era uma coisa que não acreditava muito), durmo bem melhor e não sofro tantas mudanças de humor.
Não digo que toda a gente deva ser vegetariana. Acho que isso seria algo impossível de acontecer. Mas creio que se fizesse uma refeição por dia sem carne ou peixe, as pessoas andariam bem mais felizes e saudáveis.
Imagem de perfil

De Us4all a 03.10.2016 às 11:40

É mesmo isso Catarina, não temos nem devemos ser todos vegetarianos, longe disso. Somos animais hominívoros e devemos manternos assim (o corpo gosta pouco de mudanças de hábitos de milhares de anos) ;) mas reduzir o consumo para valores saudáveis só nos faz bem. O aumento da vitalidade é visivel! 
Boas mudanças e obrigada por partilhares a tua experiência! Vou ver o filme que esse nunca vi ;) Beijinho
Imagem de perfil

De Catarina a 03.10.2016 às 14:53

Prepara-te para cenas fortes. Para mim, Cowspiracy é para meminos quando comparado com Earthlings
Imagem de perfil

De Us4all a 03.10.2016 às 14:56

Hum certo... sim em termos de imagens é muito muito soft... vamos lá encher o peito de ar então ;)
Imagem de perfil

De Inês a 30.09.2016 às 21:11

Ainda não vi o filme, está na lista de filmes para ver desde o boom que provocou quando foi lançado. De qualquer forma, tenho uma boa noção dos impactos para o ambiente, para a saúde humana e para os próprios animais de produção e, por isso, tenho reduzido o consumo de carne principalmente. Só como frango uma vez por semana, às vezes nem isso. Mas confesso que em produtos derivados não consigo. Gosto muito de ovos e de queijo (adoro queijo, é das minhas coisas preferidas) e não tenciono diminuir o consumo dos mesmos. Mas, como referes, acho que o mais importante é mesmo diminuir este consumo excessivo de produtos animais que está bastante enraizado na sociedade. Gostei do post :)
Imagem de perfil

De Us4all a 03.10.2016 às 11:37

Sim é mesmo isso Inês, o importante é termos consciência do que consumimos, como consumimos e saber os riscos que corremos perante determinados alimentos. Só assim crescemos e evoluimos como cidadãos de um mundo global. Não podemos assobiar para o lado e pensar que não é nada connosco, é com todos e todos somos responsáveis. Obrigada pelo testemunho! Quanto ao filme, vale a pena ver ;)
Beijinho

comentar post




Contactos

us4all@sapo.pt

Também colaboro aqui


Sigam-me por aqui

Follow


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D