Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



WP_20170214_10_30_54_Pro.jpg

A propósito da partilha de ontem no facebook (ora espreitem lá)... deixo-vos um post sobre o mesmo tema.

 

Há uns dias uma mãe confessava-me a dificuldade em encontrar opções de papas e outras comidas preparadas saudáveis para o seu bebé. A pequena tem 18 meses e nunca provou açúcar refinado (ainda há esperança para a humanidade) e que ela irá manter a guarda ao açúcar até pelo menos aos 3 anos! A mãe comentava-me que faz todas as papas com farinhas diversas, e muita imaginação. Cozinha a fruta ou envia crua para ela ir comendo durante o dia, que lhe dá também muita babata doce entre refeições que a pequena adora! Quem não?!?!?? :) A criança está no peso certo, com um desenvolvimento normal e a pediatra continua a dizer-lhe que está no caminho certo.

 

Então perguntou-me que misturas faço nas minhas papas de aveia para introduzir sabores novos, que às vezes a imaginação também tem limites. Sugeri-lhe a adição de frutos vermelhos ou algumas sultanas porque fruta da época ela diz que já consome e neste caso a manteiga de amendoim não é uma boa escolha! Comentou-me que já usava tamaras para adoçar pontualmente e que ia experimentar as passas! 

Comentou-me também a dificuldade que teve em explicar à enfermeira do Centro de Saúde que não irá dar iogurtes à criança nem quaisquer outros produtos lácteos, que essa será uma escolha da criança mais tarde caso queira consumir mas que não lhe será, para já colocado à disposição. Diz que a senhora não percebeu, que lhe disse inclusivamente que devia era comer de tudo porque um dia a mãe pode não estar para lhe fazer a comida e depois? Como é que a criança se desenrasca?!  18 meses sozinha em casa?!?!? Se não estiver a mãe alguém estará para cozinhar, é assim que se alimentam pessoas, não com processados, com comida a sério!!! 

 

Um dos principais problemas é sem dúvida a mentalidade, somos animais de hábitos, umas vezes bons outras nem por isso e a alimentação é um processo muito primitivo, daí tanta resistência à mudança. Na verdade não é assim tão primitivo o consumo de açúcar e de produtos lácteos e por isso também ser tão nocivo para o nosso organismo. Mas parece que o que é menos bom fica enraizado muito mais rapidamente e que nos esquecemos facilmente da origem da nossa alimentação.

 

E por aí, histórias para contar no que à alimentação da pequenada diz respeito?

Autoria e outros dados (tags, etc)

Captura de ecrã 2017-02-09, às 10.52.35.png

Tenho uma mão cheia de crianças que adoro! Há meia duzia de miúdos que eu gosto muito, adoro-os profundamente e podem deitar o mundo abaixo (não deitam são uns amores) que eu não me importo. Gosto de estar com eles, aliás morro de saudades de brincar com eles, de lhes dar tempo e criar boas memórias. Esses são os que eu amo profundamente e que se me pedirem que neve em Agosto eu tudo farei para que isso ocorra. 


Mas bom, há uns tempos uma delas pediu-me para lhe fazer Bolo do Shrek (é bolo de espinafres). Mas eu não lhes dou açúcar, incomoda-me o espírito já se sabe... são tão pequeninas e envenená-las naaaaa... Então lá corri em busca de uma receita (porque tinha perdido a receita original) e lá deitei mãos à obra. Um pedido delas é sempre satisfeito no menor tempo possivel (e as danadas sabem disso, sou uma fraca! Até a de dois anos, minha doce A. que pede as coisas mais estranhas e lá vou eu...).

 

Mas bem, não contente com o pedido do bolo, a S. ainda acresce "faz antes cupcakes"  COMO?!??! Mas pronto se ela pede eu faço lá está (mas nunca tinha feito porque nunca percebi porque é que havia de usar 10 formas podendo usar só uma mas elas pedem e aqui a fácil, tumbas)... usei a mesma massa e em vez de uma forma única fiz uma carrada de forminhas e lá sairam os Cupcakes do Shrek! E elas comeram e eu babei de felicidade e ainda hoje já lá vão uns meses se lembram disso e toda eu sou orgulho! Coisas mais boas! 

Então aí vai receita! 

 

Ingredientes:

200 g de espinafres

4 ovos

1/2 chávena de azeite virgem

1/2 chávenas de mel

2 chávenas de farinha de trigo integral

1 colher de chá de fermento

 

Cobertura: 

100/ 150g de Chocolate negro 0% açúcar pantagruel

àgua q.b.

 

Modo de preparação:

Separar as gemas das claras. No liquidificador (adoro isto, tudo lá para dentro e já está) juntar os espinafres com as gemas, o azeite, o mel, a farinha e o fermento. Triturar tudo muito bem. Bater as claras em castelo. Incorporar levemente as claras com a o resto da massa! Pré aquecer o forno a 180º. Levar ao forno 20min.

 

Para a cobertura:

Num tacho à parte derreter o chocolate em banho maria com um pouco de àgua. Colocar em formas (ou numa forma única) e cobrir com o chocolate derretido. (Isto tem potencial de ficar delicioso se ao chocolate adicionarem alguns frutos vermelhos... o próximo pedido vai sair assim, meninas já sabem).

 

E pronto, ai está uma receita saudável, rápida, 0% açúcar e óptima para a criançada!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Eu não tenho filhos, e isso para muitos pais não me dá o direito sequer de ousar pensar sobre a temática "criança" porém, do ponto de vista biológico, aí sim tenho legitimidade para o fazer (valha-me isso para as mais acérrimas frequentadoras de foruns de maternidade).

 

Assim sendo, do que vos falo hoje é da necessidade da criança/jovem ter periodos de descanso bem definidos e periodos em que possa simplesmente não fazer nada, isso mesmo, nada. Uma boa rotina de sono é essencial para o correcto desenvolvimento das crianças e jovens e não podemos exigir de mais da criançada e sim, estamos a exigir.

 

As cargas horárias são absolutamente desajustadas e a desculpa do "no meu tempo também era assim e safei-me" é um absurdo, é um desculpabilizar para não sentirem tanto peso de consciência. Choca-me, choca-me mesmo ver que há miudos (muitos infelizmente) que passam da escola para os desportos, seguem para o inglês, o chinês ou a aula de música e ainda dão um salto a uma ou outra explicação. E no fim, quando chegam a casa, 12horas depois de terem de lá saido, ainda têm que estar frescos e fofos para fazer os TPC's no melhor dos seus desempenhos.

 

Já pensaram caros pais que estão a exigir de mais dos vossos filhos?!? Quantos de vós gostam de trabalhar quando chegam a casa? Quantos de vós acham digno trabalhar mais do que 8 horas diárias?!??! Pois é isso que estão a obrigar as crianças a fazer, diariamente...

 

O desenvolvimento intelectual das crianças e jovens fica MESMO afectado. As rotinas são extremamente cansativas e os trabalhos de casa são para mim um absoluto exagero, um prolongar de uma maratona de horas que não é produtiva. O que importa aqui é que, segundo as mais recentes recomendações da National Sleep Foundation, as horas de sono necessárias ao normal desenvolvimento de uma criança, estão definidas da seguinte forma:

  • 3 a 5 anos - 10 a 13 horas
  • 6 a 13 anos - 9 a 11 horas
  • 14 a 17 anos - 8 a 10 horas

Considerando que não dão em principio meio jantar aos vossos filhos, ou meia peça de roupa, ou meio lanche, porque é que lhe estão a dar apenas meio periodo de descanso?!

 

Eu sei que as rotinas familiares não são simples, que os horários de trabalho são extensos e que nem sempre é fácil cumprir estes horários mas lembrem-se que, de cada vez que não permitirem que o vosso filho descanse o tempo necessário, estão a ter um impacto extremamente negativo no desenvolvimento dele e no seu desempenho e perdem qualquer autoridade moral de exigir seja o que for, porque não lhe estão a dar o essencial, um bom periodo de descanso.

 

E porque é que me lembrei disto hoje?! Porque já estava para falar disto há algum tempo e depois de ler este texto de José Cabrita Saraiva decidi que era desta.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

627b3f073fbaa8fc010a9ad63155d552.jpg

 

Eu sei que já partilhei esta imagem mas a verdade é que é uma das que melhor ilustra o que estamos a fazer às novas gerações! 

Estão (alguns, felizmente não todos) a envenenar os vossos filhos (e não desistam de ler até ao fim). Sempre que lhes dão um bolo embalado, um pacote de batata frita, um refrigerante, um snack salgado carregado de corantes, caros pais, estão a envenenar a pequenada e vocês são os únicos responsáveis por isso. É ao pai/cuidador que cabe a responsabilidade de definir o que a criança consome e comer saudavel não é mais caro, não é mais complicado, exige sim mais planeamento e exige repensar a alimentação familiar num todo. Não podem querer que os vossos filhos comam fruta a meio da manhã, se a mãe sai com um pacote de bolachas na carteira... o exemplo é a melhor forma de os educar nisto de bem comer.

 

Ideias?!?!?

O pão ainda não acabou (e é mais barato que os snacks), a fruta ainda não se esgotou (e é mais barata), à agua ainda não acabou nas torneiras nem nas fontes públicas (e é mais barata), as barras de cereais são muito simples de fazer em casa (um dia destes dou a receita). Para os pequenotes quem têm a oportunidade de comer à mesa, preparem pequenas marmitas de fruta, cereias integrais (aveia, sementes diversas e um pouco de mel para os mais gulosos) e enviem assim já preparado. A educação alimentar na primeira infância é fundamental para terem adultos com uma saúde de ferro e não se esqueçam, a criança pode não ter excesso de peso mas ter gordura visceral (já por aqui falei, é a gordura que se acumula em torno dos orgãos internos, não se vê mas é tão ou mais nociva) e isso tem como consequências o aumento da pressão arterial, da diabetes e de outras doenças de gente crescida que infelizmente são cada vez mais comuns nas camadas jovens.

 

Porquê isto hoje? Bem, porque passei à frente do recreio de uma escola primária e fiquei chocada com o que os miúdos comiam na pausa da manhã. Estavam todos sentadinhos no muro a comer e a esmagadora maioria tinha bolos embalados, madalenas, donuts, bolicau... e sim, fiquei chocada. Estou longe da realidade do ensino, tenho por perto algumas mães preocupadas e muitas vezes sou questionada através do blog e da página de fb se o alimento A, B ou C é saudavel. Raramente são, porque são regra geral processados de baixo valor nutricional e muito açúcar adicionado. Já não bastando os snacks embalados, havia criançada que fazia o pleno com pacotes de sumo .

Pais, vocês sabem quantas gramas de açúcar os vossos pequenos estão a consumir assim de repente num lanche da manhã?!??! Não?!?! Mas deviam consultar os rótulos e evitar este consumo. Sabiam que o açúcar e a gordura provenientes dos alimentos processados aumenta a irratibilidade, reduzem a atenção e estimulam a agressividade?

 

Escolham saúde, escolham alimentos naturais, preparem marmitas no dia anterior e ofereçam alimentos naturais aos vossos filhos, porque só assim lhes estão a oferecer saúde!  

E na dúvida contactem! Estou sempre por aqui prontinha a ler mais um rótulo e a ajudar-vos a criar opções mais saudáveis us4all@sapo.pt


Bons lanches (saudáveis) 

Autoria e outros dados (tags, etc)

... porque "nem só de pão vive o Homem"! Hoje mostro mais o sentimento que o alimento! Olhem lá que campanha tão... bolas, tão de dar um nó no estômago mas tão real para tantas crianças!

E eu que não tenho filhos... mas queiram os santinhos todos que, a ter, nunca venham a passar por isto!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mundo Us4all

foto do autor


Contactos

us4all@sapo.pt

Também colaboro aqui


Sigam-me por aqui

Follow


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D