Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



WP_20170214_10_30_54_Pro.jpg

A propósito da partilha de ontem no facebook (ora espreitem lá)... deixo-vos um post sobre o mesmo tema.

 

Há uns dias uma mãe confessava-me a dificuldade em encontrar opções de papas e outras comidas preparadas saudáveis para o seu bebé. A pequena tem 18 meses e nunca provou açúcar refinado (ainda há esperança para a humanidade) e que ela irá manter a guarda ao açúcar até pelo menos aos 3 anos! A mãe comentava-me que faz todas as papas com farinhas diversas, e muita imaginação. Cozinha a fruta ou envia crua para ela ir comendo durante o dia, que lhe dá também muita babata doce entre refeições que a pequena adora! Quem não?!?!?? :) A criança está no peso certo, com um desenvolvimento normal e a pediatra continua a dizer-lhe que está no caminho certo.

 

Então perguntou-me que misturas faço nas minhas papas de aveia para introduzir sabores novos, que às vezes a imaginação também tem limites. Sugeri-lhe a adição de frutos vermelhos ou algumas sultanas porque fruta da época ela diz que já consome e neste caso a manteiga de amendoim não é uma boa escolha! Comentou-me que já usava tamaras para adoçar pontualmente e que ia experimentar as passas! 

Comentou-me também a dificuldade que teve em explicar à enfermeira do Centro de Saúde que não irá dar iogurtes à criança nem quaisquer outros produtos lácteos, que essa será uma escolha da criança mais tarde caso queira consumir mas que não lhe será, para já colocado à disposição. Diz que a senhora não percebeu, que lhe disse inclusivamente que devia era comer de tudo porque um dia a mãe pode não estar para lhe fazer a comida e depois? Como é que a criança se desenrasca?!  18 meses sozinha em casa?!?!? Se não estiver a mãe alguém estará para cozinhar, é assim que se alimentam pessoas, não com processados, com comida a sério!!! 

 

Um dos principais problemas é sem dúvida a mentalidade, somos animais de hábitos, umas vezes bons outras nem por isso e a alimentação é um processo muito primitivo, daí tanta resistência à mudança. Na verdade não é assim tão primitivo o consumo de açúcar e de produtos lácteos e por isso também ser tão nocivo para o nosso organismo. Mas parece que o que é menos bom fica enraizado muito mais rapidamente e que nos esquecemos facilmente da origem da nossa alimentação.

 

E por aí, histórias para contar no que à alimentação da pequenada diz respeito?

Autoria e outros dados (tags, etc)



Contactos

us4all@sapo.pt

Também colaboro aqui


Sigam-me por aqui

Follow


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D